sexta-feira, 28 de abril de 2017

O Nome da Rosa

Questões:
1.  Explique a polémica em torno da pobreza de Cristo, discutida no filme (relacionando-a com o tema da justiça social).
2.     Explicite a principal função dos monges copistas. Na atualidade haveria lugar para os monges copistas? Porquê? Como é que hoje se guarda e transmite o conhecimento?
3.     Posicione-se criticamente face às seguintes questões: Qual a importância da religião na vida humana? A religião deve ser mais importante do que a promoção da dignidade humana? Pode existir religião sem fanatismo?
4.     Compare a interpretação que os monges faziam dos sucessivos assassinatos com a atitude e visão de William de Baskerville.
5.     Posicione-se criticamente face às posições da igreja medieval em relação às mulheres.
6.     Porque razão os dirigentes da abadia (e da Igreja) preferiam que as pessoas comuns vivessem na ignorância? Hoje ainda há quem pense da mesma forma? Justifique.

7.     Compare a atitude da igreja medieval face ao saber e à informação, com a atitude que hoje predomina das sociedades desenvolvidas. Hoje a religião pode ser considerada mais importante do que a Ciência no que respeita à resolução dos problemas que afetam a Humanidade? Porquê?


(Trabalho de pares)
I – Com base nos textos desta ficha, elaborem uma reflexão crítica sobre o filme ‘O Nome da Rosa’, desenvolvendo os seguintes tópicos:
  a) A opinião do grupo sobre o filme;
  b) A resposta desenvolvida a pelo menos 4 das questões acima apresentadas.

Como fazer?

Uma reflexão crítica é um texto em que se faz a análise de um documento, experiência ou situação, com o objetivo de retirar daí um conjunto de ensinamentos que possam enriquecer os conhecimentos do autor da reflexão e dos seus leitores. Não se trata de procurar os pontos negativos do que se pretende analisar, mas encontrar aí ideias (problemas, conceitos teses, argumentos, factos) que possam ser explorados de forma autónoma e coerente.
O autor da reflexão deve dar a sua opinião sobre os elementos sujeitos a análise, com vista a mostrar qual o seu ponto de vista sobre esses elementos, procurando questionar-se sobre os temas mais importantes para conseguir explicitar o seu pensamento sobre o objecto da sua reflexão crítica.
Assim, a reflexão crítica pode ter a seguinte estrutura:
                  1. Introdução: breve apresentação daquilo que é objeto da reflexão crítica (neste caso, o filme). Deve ficar explícito o tema central (e/ou problema central) do objeto de reflexão. E deve ser feita uma descrição breve do mesmo.
            2. Análise dos conceitos que estão presentes no objeto da reflexão. Esses conceitos devem ser definidos, se possível com recurso a dicionários,
             3. Problematização: devem levantar-se questões sobre os conceitos e a forma como eles são apresentados.
            4. Argumentação: deve responder-se às questões tendo em conta os dados recolhidos pela análise do objeto da reflexão (o filme), bem como a opinião do autor da reflexão, fundamentada com argumentos coerentes.
             5. Conclusão: síntese final do pensamento desenvolvido nos pontos 3 e 4.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

11G - Módulo3 - Teste de final de módulo - Matriz


Instruções: 

Será necessária folha de teste.                  
O teste terá a duração de 60 minutos.








Objetivos/Conteúdos:

1. Definir etimologicamente o termo 'democracia'.

2. Definir o conceito de democracia.

3.  Reconhecer a importância da igualdade (e da tolerância) em democracia.

4. Relacionar a democracia com a liberdade. 

5. Analisar o filme 'Invictus', tendo em conta o exemplo de Nelson Mandela. 

6. Explicar a importância política do desporto, a partir do filme 'Invictus': como é que Nelson Mandela usou o desporto para transformar a África do Sul numa sociedade democrática? 

7. Explicar as bases de funcionamento da democracia ateniense (a constituição da sociedade e o exercício da cidadania). 

8.Compreender as limitações da democracia ateniense: a escravatura, a exclusão das mulheres e dos estrangeiros da cidadania. 

9. Definir  e explicar a isocracia. 

10. Definir e explicar a isegoria. 

11. Definir e explicar isonomia. 

12. Relacionar o desporto com a igualdade (a questão da justiça desportiva). 

13. Analisar o filme 'Sem Tempo', comparando a sociedade retratada no filme com a nossa sociedade. 

14. Interpretar o filme 'Sem Tempo' tendo em conta a importância da igualdade e da justiça social. 

15. Compreender a importância ética dos direitos humanos: os deveres humanos na sua relação com os direitos. 

16.  Reconhecer que os deveres nascem dos direitos: por exemplo, o direito à liberdade de expressão dá origem à necessidade - ao dever - de respeitarmos esse direito. 

17. Compreender a ética formalista de Kant: o Imperativo Categórico como princípio de universabilidade das escolhas morais. 

18. Compreender a ética consequencialista de Stuart Mill: o utilitarismo. 

19. Analisar dilemas morais tendo em conta as perspectivas éticas estudadas. 

20. Descrever a história dos Jogos Olímpicos (da antiguidade e da era moderna). 

21. Analisar as regras dos Jogos Olímpicos da antiguidade.  

22. Relacionar os princípios olímpicos com os direitos humanos. 

23.  Explicar a importância da ética desportiva. 

24. Caracterizar o espírito olímpico. 

25. Explicar em que medida os jogos olímpicos podem ajudar a melhorar a humanidade (tanto individual como coletivamente). 

26. Interpretar o filme 'Pela Vitória' problematizando a importância do espírito olímpico. 


Estrutura do teste: Grupo I – I.1. Questões de escolha múltipla (15-20); 
I.2. Questões de verdadeiro/falso(10-20). 
Grupo II – 2 Questões de resposta curta. 
Grupo III – Uma questão de desenvolvimento na qual os alunos terão que fundamentar argumentativamente a sua opinião – num mínimo de 200 palavras. 
 ________ 
Materiais de apoio: 
A Democracia 
Filme 'Invictus' 
A origem da democracia: a democracia ateniense 
As desigualdades sociais
A Pessoa
Ética: Os deveres humanos 
O utilitarismo de Stuart Mill e o formalismo kantiano 
Apresentação sobre a ética
O espírito olímpico e a ética no desporto.
O Desporto e a Política

Como estruturar um texto argumentativo?
O que é um problema? Como se resolvem problemas?

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

12L - Memória Descritiva do Cartaz do Dia da Filosofia

Como se faz uma memória descritiva?



A. Objetivos
A memória descritiva deve ser encarada como um discurso do designer para o cliente, justificado pelo facto de o designer não estar perante o cliente. O discurso deve ser cuidado e direto, sem recorrer a tópicos e sem perder a coesão e a coerência. Normalmente, utiliza-se a 3ª pessoa, em construção passiva ou indefinida (foi realizado; procedeu-se; fez-se, etc.).

B. Estrutura

Introdução
Na Introdução, referem-se genericamente as caraterísticas do objeto  em causa. Também podem ser feitas referências a autores ou mesmo à história do objeto, tendo sempre em conta o destinatário do documento, que é o cliente.

Desenvolvimento
Nesta parte, procede-se à descrição detalhada do objeto, o que implica referência ao formato, ao layout, às cores, às proporções e aos alinhamentos.
Devem ser apresentadas sobretudo justificações de ordem estratégica e criativa, tendo o cuidado de se referir as condições técnicas como, por exemplo, a racionalização das cores para redução de custos. Importa igualmente evidenciar a gestão de processos, como códigos de cor, consistência, simplicidade, funcionalidade, inovação, etc. A ordenação do discurso deve ter em conta a metodologia e a lógica da comunicação que se pretende.

Conclusão
Na parte final, devem referir-se as condições necessárias para o processo de implementação do projeto, tais como: estratégia de lançamento, meios implicados; locais de distribuição/afixação; impressão/produção.

C. Como fazer uma descrição

A descrição consiste em apresentar com exatidão as partes e os traços caraterísticos de um ser vivo, de um lugar, de uma paisagem ou de um objeto. Por isso, para fazer uma boa descrição é preciso observar minuciosamente a realidade que queremos descrever e escolher os traços que a definem e que nos interessa realçar. Também é preciso ordenar os elementos selecionados de acordo com um critério rigoroso. Finalmente, é preciso elaborar a descrição com rigor e expressividade.

As etapas para fazer uma descrição são, então, as seguintes:
1. Observar minuciosamente o objeto que se vai descrever; 
2. Selecionar os traços caraterísticos que distinguem esse objeto: a forma, a cor, o tamanho, os componentes, etc.; 
3. Dispor os elementos selecionados: de cima para baixo, da direita para a esquerda, da frente para trás, etc.;
 4. Elaborar o texto, sempre de acordo com os objetivos pretendidos.
http://www.ebah.pt/content/ABAAAgUMYAC/estrutura-memoria-descritiva

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

10K - Teste Sumativo - Módulo 3

Esclarecimento de dúvidas por email - clicar aqui

Instruções: Será necessária folha de teste.
                    O teste terá a duração de 90 minutos.

Objetivos/Conteúdos:

1. Definir etimologicamente o termo 'democracia'.
2. Definir o conceito de democracia.
3.  Reconhecer a importância da igualdade (e da tolerância) em democracia.
4. Relacionar a democracia com a liberdade.
5. Distinguir democracia direta e democracia representativa.
6. Analisar o filme 'Invictus', tendo em conta o exemplo de Nelson Mandela.
7. Explicar as bases de funcionamento da democracia ateniense.
8. Definir  e explicar a isocracia.
9. Definir e explicar a isegoria.
10. Definir e explicar isonomia.
11. Caracterizar a democracia ateniense como uma democracia direta.
12. Descrever a forma como eram designados os detentores dos cargos políticos na Atenas democrática: o sorteio e a eleição.
13.Comparar a democracia ateniense com a democracia portuguesa.
14. Compreender as limitações da democracia ateniense: a escravatura, a exclusão das mulheres e dos estrangeiros.
15. Descrever a sociedade ateniense.
16. Descrever a sociedade medieval (o clero, a nobreza e o povo) e do antigo regime (o primeiro estado, o segundo estado e o terceiro estado).
17. Explicar as razões que levaram à eclosão da revolução francesa em 1789.
18. Explicar os valores fundamentais da revolução francesa: a liberdade, a igualdade e a fraternidade.
19. Comentar a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão de 1789.
20. Interpretar o filme 'Elysium', estabelecendo um paralelismo entre a sociedade retratada no filme com a sociedade do antigo regime.
21. Confrontar a sociedade retratada no filme com a nossa sociedade e com os problemas sociais nela existentes.
22. Interpretar o filme 'Sem Tempo' tendo em conta a importância da igualdade e da justiça social.
23. Interpretar o filme 'Equilibrium' comparando a nossa sociedade com a sociedade retratada no filme.
24. Relacionar os dois filmes com a importância da dignificação do trabalho e dos trabalhadores.
25. Definir o conceito de trabalho.
26. Explicar a origem etimológica do termo 'trabalho'.
27. Descrever as alterações que a agricultura trouxe às sociedades humanas e o seu impacto no trabalho.
28. Relacionar a escravatura com as sociedades antigas nascidas da revolução agrícola.
29. Caracterizar a escravatura e explicar o estatuto e os papéis sociais dos escravos na antiguidade.
30. Reconhecer a desvalorização do trabalho (braçal) na antiguidade, considerado como uma ocupação indigna para os homens livres.
31. Descrever a sociedade medieval tendo em conta as formas que nela assumiu o trabalho: os servos da gleba, os artesãos e as suas corporações; a distinção entre a vida nos domínios senhoriais e nos centros urbanos - o despontar do capitalismo.
32. Explicar as mudanças estruturais que a revolução industrial trouxe às sociedades europeias (na sequência da revolução francesa) - a burguesia e a valorização do trabalho assalariado.
33. Compreender a importância ética dos direitos humanos: os deveres humanos.
34. Reconhecer que os deveres nascem dos direitos: por exemplo, o direito à liberdade de expressão dá origem à necessidade - ao dever - de respeitarmos esse direito.
35. Compreender a ética formalista de Kant: o Imperativo Categórico como princípio de universabilidade das escolhas morais.
36. Compreender a ética consequencialista de Stuart Mill: o utilitarismo.
37. Analisar dilemas morais tendo em conta as perspectivas éticas estudadas.
38. Posicionar-se criticamente perante o pessimismo antropológico de Thomas Hobbes.
39. Posicionar-se criticamente perante o optimismo antropológico de Jean-Jacques Rousseau.


Estrutura do teste:

Grupo I – I.1. Questões de escolha múltipla (15-20); I.2. Questões de verdadeiro/falso(10-20).
Grupo II – 3 a 4 Questões de resposta curta.
Grupo III – Duas questões de desenvolvimento nas quais os alunos terão que fundamentar argumentativamente a sua opinião – num mínimo de 200 palavras cada questão. 
________

Materiais de apoio:

A Democracia
Filme 'Invictus'
A origem da democracia: a democracia ateniense
A sociedade medieval e do Antigo Regime
As desigualdades sociais
Revolução Francesa: A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão
Filme 'Elysium'
Filme 'Equilibrium'
O Rendimento Básico Incondicional
O trabalho e o seu estatuto no Ocidente
Ética: Os deveres humanos
O utilitarismo de Stuart Mill e o formalismo kantiano
Apresentação sobre a ética





Os jogos olímpicos